Uma boa notícia dentre as tantas ruins decorrentes da podridão institucional: o terrorista Cesare Battisti, membro dos Proletários Armados para o Comunismo (PAC), anteriormente asilado no Brasil pelo petista Tarso Genro, com a plena concessão do Supremo Tribunal Federal, que à época, em meio à votação, foi convencido pelo Ministro Marco Aurélio Mello a deixar a decisão para Lula, então presidente, foi preso na fronteira com a Bolívia.

Battisti levava junto de si US$ 5 mil (o equivalente na cotação atual a R$ 15,6 mil) e € 2 mil (o que representa R$ 7,3 mil), sem ter declarado à Receita local. A detenção ocorreu quando ele tentou atravessar a fronteira do Brasil com a Bolívia em um táxi boliviano.

O terrorista italiano aguarda decisão de Michel Temer acerca do novo pedido da Itália para que o homicida condenado por dois assassinatos seja extraditado para o seu país natal, que aguarda a sua condenação.

O comunista sabe que irá apodrecer na cadeia. Quanto à nós: um bandido a menos no Brasil.

Comentários