O jornalista Claudio Humberto, recentemente, afirmou que a Câmara planeja reagir duramente à articulação de entidades da Justiça do Trabalho com o fim de boicotar a reforma trabalhista.

A ideia é extinguir a Justiça do Trabalho.

O órgão nasceu em 1934 das mãos de Getúlio Vargas, que, achou viável a necessidade de garantia da CLT, a lei do trabalho inspirada na Carta Del Lavoro do fascista Benito Mussolini.

A injustiça constante com empregadores reclamados é indubitável.

As relações do trabalho brasileiras têm de deixar a hipocrisia da intervenção estatal, para retornarem ao estágio natural e contratual. Somente assim, com o acerto direto, teremos mais empregos e salários maiores, na medida em que direitos esparsos, penduricalhos e determinação até mesmo do horário de jornada não podem servir como forma de revanche de trabalhadores demitidos, como sucessivamente têm ocorrido dentro da imensa maioria de reclamações trabalhistas.

Comentários