Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse na noite desta quinta-feira que tem medo de que Jair Bolsonaro seja eleito Presidente da República, tudo porque o deputado no passado disse que defendia o fuzilamento de FHC.

“Na época, eu não prestei atenção. Mas hoje eu tenho medo, porque agora ele tem poder, ainda não, ele tem a possibilidade do poder”, afirmou o satélite de George Soros no país.

Contudo, o passado trás uma enorme mancha na história da família Cardoso, que na pessoa do general de brigada Joaquim Inácio Batista Cardoso, defendeu o fuzilamento de Dom Pedro II e de toda a Família Imperial quando o Imperador caso resistissem ao exílio.

Isso é um fato confirmado pelo livro “1889” de Laurentino Gomes, no que o próprio autor chamou de “o avô sanguinário de FHC”.

“Tal proposta se tivesse sido levada à cabo teria antecedido o assassinato em massa dos Romanov na Rússia.”, comentou o Prof. Loryel Rocha, em seu Facebook.

“É intrigante FHC se auto-intitular o melhor aluno de António Gramsci, bem como posto de ser o Kerenski brasileiro, o cérebro de todo o plano comunista russo.”, completou.

Comentários