Membros de movimentos pró-vida que se aproximarem 150 metros de qualquer clínica de aborto poderão ser presos pelo governo estadual canadense

Em uma medida digna de grandes ditaduras, o governo estadual de Ontário, no Canadá, proibirá, a partir do dia 1º de fevereiro de 2018, qualquer membro pró-vida de se aproximar de instalações de clínicas de aborto, seja para orar, seja para oferecer orientação a quem esteja lá para matar o filho no ventre.

Trata-se do Bill 163, de “acesso seguro a serviços de aborto”, que pode ser lido aqui.

O governo de Ontário é o laboratório do globalismo no mundo todo, e já aprovou anteriormente a pena de perda da guarda de filhos dos quais os pais rejeitarem a ideologia de gênero (aqui).

Comentários