San Francisco está atualmente entregando milhões de seringas descartáveis para usuários de drogas, mas está tendo problemas com o pouco controle de como essas seringas são descartadas e como isso está contribuindo para milhares de reclamações.

A cidade distribui cerca de 400.000 seringas por mês para execução de vários programas que visa a redução de casos de AIDS e outras doenças causadas pelo compartilhamento de seringas pelos usuários de droga. Porém, somente cerca de 246.000 dessas seringas são descartadas nos treze sítios de reciclagem próprios para o descarte. O resultado é que milhares das que restam acabam nas ruas, parques e outras áreas públicas da cidade, de acordo com o periódico San Francisco Chronicle.

Seringas descartadas em lugares públicos se tornaram um problema nação adentro em meio ao crescente uso da heroína. Mas na pequena San Francisco (que possui cerca de cinquenta quadras, ou 12.950 hectares), é onde o problema é mais visível, sobretudo em razão do aumento da população de moradores de rua.

No último ano, a cidade registrou mais de 9.500 pedidos de retirada de agulhas. Esse ano, já houveram mais de 3.700 pedidos até o momento.

Ainda, a cidade não possui planos para modificar sua política de descartar um número tão grande de agulhas.

“Pesquisa mostram que reduzir o acesso para seringas limpas apenas aumenta o risco de doenças e não melhora o problema”, afirma Barbara Garcia, diretora do Departamento de Saúde Pública.

Para resolver o problema, o prefeito de San Francisco, Farrell, contratou dez novos trabalhadores para o recolhimento de agulhas em junho.

Fonte: Yahoo/San Francisco Chronicle

Comentários