Algumas culturas são melhores que outras

Uma investigação realizada pela academia de polícia do país revelou que dos requerentes de asilo, 1052 eram suspeitos de crimes em 2016, com dois terços deles sendo iraquianos. 

Os números mostram também que, de 116 suspeitos de crimes sexuais, 108 vieram de países islâmicos como o Iraque (83), Afeganistão (14) e Marrocos (6). 

32% dos crimes foram estupros, enquanto que 16% eram de estupros coletivos e 16% eram de assédio sexual. Quase metade dos crimes foram cometidos contra meninas finlandesas menores de 18 anos. 

A Finlândia tem uma média de 5,5% de imigrantes, a maioria dos quais são russos, estonianos, suecos e da antiga União Soviética, significando que os migrantes muçulmanos são a minoria, porém a cometem a maioria dos crimes sexuais.

No ano passado, a Finlândia sofreu seu primeiro ataque de terrorismo islâmico na história, onde10 pessoas foram esfaqueadas na central Turku, sudoeste do país, por Abderrahman Bouanane, um marroquino de asilo rejeitado. 

Apesar disso, foi posteriormente relatado que autoridades finlandesas estariam considerando fornecer o retorno de jihadistas islâmicos, bem como apartamentos e serviços sociais para reintegrá-los na sociedade finlandesa. 

Como já relatado, na semana passada, a Suécia, vizinha escandinava da Finlândia começará a coletar estatísticas sobre migrantes e crime violento pela primeira vez em mais de uma década como decorrência das crescentes preocupações.  

Fonte: Infowars

Comentários

Deixe um comentário