Ação judicial coloca direitos constitucionais contra censura e ofensas.

Captura de Tela 2018-05-25 às 14.08.42

Um estudante de escola secundária de Oregon ajuizou ação contra seu distrito escolar, depois que ele foi suspenso por usar uma camisa pró Trump. 

De volta em Janeiro à Liberty High School, Addison Barnes, 18 anos, decidiu usar a camisa na aula de Povo e Política sobre imigração, que seria um tópico da aula naquele dia. 

A camisa destaca um trabalhador da construção civil em frente a um muro e um texto dizendo, “Donald J. Trump Construction co.” Também continha o famoso bordão de Trump, “The wall just got 10 feet taller” (“o muro só tem 10 pés”, em tradução livre). 

O vice-diretor da escola em Hillsboro, tirou-o da classe e pediu-lhe para encobrir a camisa, enquanto outro professor foi alegadamente ofensivo. 

Barnes inicialmente respeitou o desejo do funcionário da escola, mas depois decidiu defender seu direito baseado na primeira emenda – liberdade de expressão. 

“Você sabe que isto não está certo, então resolvi” disse Barnes à afiliada KPTV. “Eu tenho minha primeira emenda, e não é certo o que estão fazendo.” 

Depois de exibir novamente a camisa, um oficial de segurança foi enviado para escolta de Barnes à classe, solicitando que ele tirasse a camisa, ou fosse para casa – então ele foi para casa. 

Barnes levou uma suspensão de meio dia, que depois foi anulada e convertida em proibição de utilização da camisa.

Falando para os administradores da escola, Barnes e seu pai disseram que alunos e professores o ofenderam pela camisa e ele se sentiu ameaçado por isso.

“As ações dos réus censuram a liberdade de expressão de Barnes e violam seus direitos expressos na primeira emenda”, afirma o processo protocolado na sexta feira.

“O escola, ironicamente chamada de escola ‘Da Liberdade’ (em tradução literal), violou os seus direitos de liberdade de expressão”, disse o advogado que representa Barnes, Mike McLane. 

Barnes está esperançoso que o processo trará uma discussão mais ampla sobre os direitos da primeira emenda no distrito escolar. 

Fonte: Infowars

Comentários

Deixe um comentário