Roma (AP) — os novos líderes populistas da Itália comemoraram a Fundação da República italiana participando de um desfile militar cheio de pompa sábado — e em seguida prometeram trabalhar para criar empregos e deportar migrantes. 

“O free ride acabou”, advertiu o líder da “Liga”, Matteo Salvini, novo ministro do interior da Itália, aos migrantes em um comício no norte da Itália. “É hora de fazer as malas”. 

A promessa de deportações em massa por vir foi um lembrete de que a Itália agora tem um governo de direita anti imigração em massa, e que a União Européia terá que enfrentar a 4ª maior economia européia.

Mais cedo, Salvini se juntou ao Premier Giuseppe Conte e o resto do recém empossado em gabinete para ver o desfile do dia da República. O esquadrão acrobático da aeronáutica italiana voou soltando fumaça nas cores da bandeira italiana – verde, branco e vermelho.

O orgulho nacional em exposição é uma característica de todos os dias da República, mas assumiu um significado especial este ano depois de a Itália, na sexta-feira, ter encerrado três meses de turbulência política e financeira, determinando que a Europa não precisa ficar tão alarmada com o “Euroceticismo” italiano.

Conte, professor de direito arrancado de relativa obscuridade para chefiar uma improvável aliança governante do movimento de 5-estrelas anti-sistema e liga, disse que as celebrações que sábado transcendeu todas as tensões dos últimos dias. 

“É a celebração para todos nós, da nossa República,” ele disse. 

O gabinete de Conte foi empossado após um acordo de última hora, evitando a ameaça de uma nova eleição, que teria se tornado um referendo sobre se a Itália fica com a moeda comum européia –  o Euro. Apesar de a Itália começar a despreocupar quanto à política e economia, seus vizinhos ainda se preocupam com o ceticismo europeu da nova administração italiana.

“A Itália está destruindo em si — e arrastando para baixo a Europa com ela,” disse a manchete da revista Der Spiegel da Alemanha, a capa do que apresentava uma garfada de espaguete com um fio pendurado amarrado como um laço.

Enquanto o Spiegel é conhecido por tais provocações, outro artigo da Spiegel na semana passada protestou oficialmente ao embaixador da Itália na Alemanha. 

No sábado, a Chanceler alemã Angela Merkel telefonou para Conte e convidou-o a visitar em breve. O escritório de Merkel disse que os dois líderes enfatizaram a importância da contínua estreita cooperação bilateral. 

Até agora, Conte deixou detalhes específicos da política para os impulsionadores de sua ascensão improvável, seus dois deputados: Salvini e o líder de 5 estrelas, Luigi Di Maio.

“A partir de hoje, podemos começar a trabalhar para criar trabalho,” Di Maio disse em um vídeo do Facebook. Di Maio é também o ministro do trabalho, uma combinação que ele disse faz sentido, desde que os dois ministérios trabalhem juntos. 

Oferecendo apoio ao novo governo, o pequeno partido da extrema direita CasaPound realizou sua própria comemoração ao dia da República, onde se fizeram presentes muitas bandeiras da União Européia riscadas e “#exIT” abaixo, em referência aos pedidos para que a Itália deixe o bloco.

A agenda da Liga 5 estrelas não tem tais planos, mas Conte deixou claro que ele estava irritado por comentários esta semana do Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que disse a Itália teve que parar de culpar a UE pelos seus problemas e deve assumir a responsabilidade de abordar a pobreza em Sul da Itália. 

“Isso significa mais trabalho, menos corrupção. Seriedade,” disse Juncker nos comentários que seu porta-voz leu. Mais tarde ele disse que se arrependeu. 

Conte insistiu em Itália não estava sozinha em casos de corrupção e declarou que “todos temos de trabalhar para a legalidade.” 

O apoio à Conte será testado na próxima semana no parlamento, onde os partidos governistas têm pequena maioria. 

O Dia da República comemora o dia 2 de junho de 1946, quando os italianos votaram num referendo para abolir a monarquia a favor de uma República,.

A turbulência política que criou o primeiro governo populista da Europa Ocidental esta semana foi apelidada de o início da Terceira República da Itália. 

Fonte: AP News

Comentários

Deixe um comentário