O encontro elitista esta marcado para acontecer em Turim, Itália.

Os globalistas de Bilderberg estão preocupados com a revolta populista que assola a Europa.

O encontro anual elitista deve se reunir esta semana em Turim, um local apropriado, uma vez que a Itália acaba de eleger um governo de coalizão eurocético, anti migração em massa.

De acordo com o site oficial do grupo, o tópico número um de conversa na reunião secreta deste ano será “populismo na Europa”.

Tendo falhado em instalar um ex-tecnocrata do FMI depois que as negociações de coligação entre o Movimento das Estrelas e os partidos Lega se desfizeram temporariamente, os globalistas irão, sem dúvida, alarmar o potencial da Itália para ser um exemplo para o resto da Europa.

O novo governo populista do país prometeu deportar 500 mil imigrantes, reafirmar o localismo sobre a globalização e o capitalismo monopolista, monitorar mesquitas e revigorar a herança cristã do país, políticas que contradizem diretamente o consenso globalista neoliberal que Bilderberg representa.

A lista de participantes da conferência Bilderberg deste ano, que começa na quinta-feira, também foi lançada, uma lista que o jornalista Charlie Skelton descreve como @fascinante e de alta potência. ”

Captura de Tela 2018-06-05 às 13.38.11

O grupo clandestino também está programado para discutir “os EUA antes dos midterms” e o “mundo da pós-verdade”, que inclui esforços para combater as chamadas “fake news”.

Embora a grande mídia habitualmente desconsidere Bilderberg como uma mera “conversa fiada” sem poder real, existem inúmeros exemplos do grupo exercendo sua influência sobre os assuntos mundiais.

Em 2010, o ex-secretário-geral da OTAN e membro do Bilderberg, Willy Claes, admitiu que os participantes do Bilderberg são mandatados para implementar decisões que são formuladas durante a conferência anual de corretores de poder. Se este for o caso, violaria as leis em vários países que proíbem políticos de serem influenciados por agentes estrangeiros em segredo.

Em 2009, o presidente do Bilderberg, Étienne Davignon, até se gabou de que a moeda única do euro era uma ideia do Grupo Bilderberg.

Fonte: Infowars

Comentários

Deixe um comentário