Requerente de asilo fugiu do país depois de asfixiar e estuprar a vítima por horas

O imigrante iraquiano que assassinou uma menina de 14 anos na Alemanha antes de fugir do país se gabou de como a vida na Alemanha era fácil, como ele não precisava trabalhar e como recebia dinheiro de graça do Estado.

A adolescente, chamada de Susanna F. pela mídia, foi estuprada e sufocada por horas, por Ali Bashar, de 20 anos.

Bashar evitou a acusação pelo crime horrível ao sumir de um centro de asilo e fugir do país, mas um acordo foi posteriormente feito com o governo iraquiano para devolvê-lo à Alemanha para enfrentar acusações.

De acordo com os parentes de Bashar, ele costumava gabar-se do quanto era bom na Alemanha, não tendo que trabalhar, beneficiando-se de generosos pagamentos de assistência social e recebendo “um salário do estado”.

“Eles disseram que estão indo bem na Alemanha”, disse um primo de Bashar, da região curda do Iraque.

Apesar de Angela Merkel inicialmente justificar sua desastrosa política de fronteiras abertas como sendo necessária para suplementar a força de trabalho, menos de 3% dos migrantes que chegaram à Alemanha na onda inicial conseguiram emprego.

Na semana passada, Thomas Seitz, do partido direitista alemão AfD, tentou manter um minuto de silêncio para Susanna F. no parlamento alemão, mas foi constantemente interrompido por políticos de esquerda.

Apesar da mídia demonizar Donald Trump por chamar a atenção para o problema do crime migrante na Alemanha, ele está completamente correto.

Como a Reuters reconheceu no início deste ano, a Alemanha sofreu um “aumento em dois anos de crimes violentos”, aumentando 10% em 2015 e em 2016, 90% . Esse aumento foi atribuído a “jovens refugiados do sexo masculino”.

Além disso, novos números divulgados recentemente pelo Departamento de Polícia Criminal Federal da Alemanha (BKA), mostram que houve 39.096 vítimas alemãs de crimes contra imigrantes em 2017, um novo recorde. Isso se compara com 31.597 no ano anterior, um aumento de 23,7%.

Outro estudo realizado pela Universidade de Ciências Aplicadas de Zurique descobriu que os migrantes são responsáveis ​​por um aumento de 92% nos crimes violentos relatados na Alemanha durante 2015 e 2016.

A questão deixou o legado político de Angela Merkel à beira do colapso enquanto ela enfrenta a intensificação da oposição dentro de seu próprio governo de coalizão.

Fonte: Info Wars

Comentários

Deixe um comentário