“Trump não vai sair”, previu Moore para Stephen Colbert, pedindo aos democratas que façam tudo o que puderem para tirá-lo.

Em 2004, Michael Moore lançou seu documentário Fahrenheit 9/11 sobre o período que antecedeu a Guerra do Iraque. Em setembro, ele vai estrear seu último filme: Fahrenheit 11/9.

Como o cineasta liberal disse a Stephen Colbert no The Late Show na noite de quinta-feira, essa data representa a noite em que Donald Trump foi eleito presidente. “É sobre como diabos chegamos nessa situação e como vamos sair disso”, disse ele.

Depois de tocar um clipe do filme no qual ele tenta se infiltrar em Mar-a-Lago, Colbert perguntou se ele era “civilizado” com as pessoas de lá. “Eu era tão civilizado quanto qualquer coroinha da escola Eagle Scout poderia ser quando confrontado com o diabo”, respondeu Moore.

Falando ao grande debate de civilidade que acontece na América agora, Moore continuou, dizendo que os democratas têm sido tradicionalmente “tão sem personalidade e fracos”, mas agora “algumas pessoas querem se levantar e dizer, eu já tive o suficiente, é isso”.

“Nós não temos que ser violentos, temos que permanecer não-violentos, mas se o pior que acontece com qualquer um na administração Trump é que eles não têm um jantar de frango na Virgínia, quero dizer, eu não sei”, disse ele. Se fossem apenas diferenças políticas básicas, Moore disse que não seria a favor de expulsar Sarah Huckabee Sanders de um restaurante.

“Mas isso não é o que está acontecendo agora”, disse ele. “Não estamos falando de diferenças políticas. Estamos falando de milhares de crianças sendo sequestradas e colocadas em prisões”.

Dado o quão dividida a nação parece estar neste momento, Colbert se perguntou que tipo de “fim de jogo” Moore tinha em mente. “Porque você não quer acabar com isso em violência ou qualquer tipo de confronto realmente revolucionário, você quer uma mudança política no final disso”, ele assumiu. “Você tem alguma esperança para isso?”

Moore, que disse que chora todos os dias quando assiste ao noticiário, diz que precisa manter um pouco de esperança. Mas, ao mesmo tempo, ele se pergunta: “Quando as pessoas vão sair do sofá e se levantar?”

“Infelizmente, Trump não vai sair”, disse ele. “Ele planeja ser reeleito, ele ama o termo ‘presidente para a vida’. A única maneira de pararmos isso é que todos nós teremos que colocar nossos corpos em risco. Você vai ter que estar disposto a fazer isso.” Moore então se virou para o público e perguntou o que eles fariam se “eles pegassem seu filho de você”. Porque “é assim que todos nós temos que começar a responder ”.

Em uma tentativa de terminar com uma nota positiva, Moore disse: “A maioria dos americanos é muito liberal. Eles assumem a posição liberal na maioria das questões. Eles acreditam que as mulheres devem receber o mesmo que os homens, eles acreditam que há mudanças climáticas, eles não acreditam que as pessoas devam ser jogadas na prisão por fumar maconha.”

“A maioria dos americanos é liberal e nós, democratas, ganhamos a presidência, voto popular, em seis das últimas sete eleições presidenciais”, continuou ele. “Os republicanos venceram apenas uma vez desde 1988 – em 2004, com Bush, essa é a única vez que eles ganharam o voto popular! O país em que vivemos não quer os republicanos na Casa Branca! Eles não querem que eles administrem este país! Nós somos a maioria! ”

Fonte: Daily Beast

Comentários

Deixe um comentário