Um homem da Flórida disse que levou um soco no rosto e foi arrastado por 9 metros com o braço preso em um carro por um homem que estava bravo com o fato de que ele tinha uma bandeira Trump no seu quintal da frente.

O incidente ocorreu em Boynton Beach no dia 4 de julho, quando Jeff Good assistia a um show de fogos de artifício em sua garagem por volta das 21h30.

Um homem mais velho, de cabelos grisalhos, e sua companheira de trabalho se aproximaram e começaram a gritar contra o presidente Trump e exigindo que Good retirasse a bandeira Trump de seu quintal.

Quando Good recusou, o homem supostamente lhe deu um soco no rosto. Good tentou dar um soco, mas o homem imediatamente partiu com o braço de Good ainda preso no carro.

Good diz que ele foi arrastado por cerca de 30 pés e mostrou ao canal de notícias local WPTV as contusões para provar isso.

nulo

O vizinho de Good, Donald Tarca Jr., reclamou do incidente em um post no Facebook, na tentativa de encontrar o culpado, comentando: “Isso é completamente inaceitável”.

“Meu objetivo político aqui é apenas expressar meu amor por esse presidente e alguém te dar um soco na cara por apenas apresentar a bandeira ao público, isso é o suficiente dito ali”, disse Good, acrescentando que ele achava que tinha sorte por fugir com ferimentos leves.

A polícia de Boynton Beach pede a alguém com informações sobre o incidente que se apresente. O carro era um pequeno modelo prateado de duas portas.

O incidente é mais um exemplo de abuso físico e assédio que os partidários de Trump enfrentaram desde que Maxine Waters convocou esquerdistas para perseguir funcionários do governo Trump.

John Nolte, da Breitbart, compilou uma lista de “91 atos de violência e assédio da mídia contra os partidários de Trump”.

Eles incluem um adolescente que foi agredido e teve uma bebida jogada em seu rosto em um Whataburger em San Antonio por usar um chapéu MAGA, que o culpado posteriormente roubou.

Na semana passada, um homem de Berkeley foi acusado de fazer ameaças de morte contra Rand Paul e sua família, prometendo cortar as crianças do Senador de Kentucky com um machado.

Hoje também informamos sobre como o professor de direito de Harvard Alan Dershowitz foi informado por uma mulher que ela queria esfaqueá-lo no coração porque ele não apoiou o impeachment de Trump.

Fonte: InfoWars

Comentários

Deixe um comentário